Arquivo da tag: Maniçoba

Impressões da culinária paraense

Para os que não conhecem a deliciosa comida paraense, maniçoba é o prato mais desafiante da culinária brasileira, pelo seu aspecto e história. Até para os apreciadores, como eu, a maniçoba não é uma refeição nada bonita, um misto de lama com terra preta, daquelas onde esperamos encontrar caranguejos, ou seja, uma refeição com cara de mangue. No meio deste mangue encontramos os “pertences”, como em uma feijoada: paio, linguiça, partes de porco e as vezes carne de sol. Este mangue é como um mingau grosso feito da maniva, a folha da mandioca. E aí entra a história incrível. Para eliminar todo ácido das folhas, que é altamente venenoso, a maniva deve ser cozida por sete dias. Sete dias! Como alguém inventou isso? Algum dia alguém cismou que queria comer a folha e tome de cozinhar… O detalhe é que não provou, mas colocou os outros para provarem – e morrerem – em seu lugar, até que um dia alguém disse… “Está feio, mas está no ponto”. Pronto. Estava inventada a maniçoba.

manicoba

Maniçoba com arroz

Mas se você é menos radical, vamos de arroz paraense, que é arroz feito no molho do tucupi com jambu, a deliciosa folhinha paraense que anestesia a língua e acompanhado de camarão. Bom, bonito e muito gostoso.

arroz paraensebolinho de piracuí

Maniçoba com arroz.
Ao lado bolinho feito com farinha de piracuí, feita de peixe seco. Delícia paraense!

Este post é parte das Impressões Integrais 96 – Clique e leia o texto na íntegra.

Anúncios

Comendo maniçoba no “Fundo de Quintal”

IMG_0601 A placa está ali… escondidinha… e a gente segue pelo corredor por trás do portão…

Na saída do Museu do Marajó, bateu fome e vim parar no “Fundo de Quintal”, restaurante da Dona Zezé, também funcionária do museu. Não sei se é sempre assim ou se dei sorte, mas o cardápio era: pirarucu, maniçoba e peru ao tucupi. Por doze reais, não dava para perder, né? Que delícia… Já disse, no Marajó você só engorda. Ah! Não sabe o que é maniçoba? Imagine uma feijoada, com tudo que tem lá dentro, todos os pertences, mas sem feijão, e sim com a folha da maniva (mandioca) moída. Fica um aspecto, digamos assim, meio esquisito, esverdeado, espesso, rústico. Mas é delicioso, depois de superado o desconforto inicial. Para os curiosos, uma informação: a maniva tem ácido cianídrico, venenoso, que só é eliminado após o cozimento por sete dias. Sempre me pergunto quem foi que descobriu isso… fazendo alguém provar dia a dia, até ficar no ponto…

IMG_0599 Delícia… maniçoba.
IMG_0600 Posta de pirarucu.

JOANES

Este post faz parte das Impressões Integrais 90