Na mata você nunca está sozinho

Bem, não pense que você estará sozinho. Se isto serve de consolo – ou de maldição –, na mata você nunca está sozinho. Mesmo que não perceba isso. Logo, os insetos sentirão o cheiro do seu suor e farão as primeiras visitas: piuns, carapanãs, maruins, formigas, mutucas, tungas… Mesmo que você não tenha sido apresentado, eles não fazem cerimônia. Para distrair, os martins-pescadores atravessam o rio em alvoroço, disputando com as garças quem pega o melhor peixe. Araras atravessam os céus. Azuis, vermelhas, amarelas, se juntam aos tucanos e espalham cores na paleta de todos os tons de verde.
Ao longe uma anta atravessa o rio. Você vê uma paca, uma cutia, um bando de macacos e sorri feliz. Melhor não imaginar que poderia ser uma onça. Ou melhor, que uma onça poderia ver você.

ia 62 postado
Ver uma águia-pescadora sempre é legal!

Est post faz parte do texto integral das Impressões Amazônicas 84

Anúncios

Uma opinião sobre “Na mata você nunca está sozinho”

  1. Essa i9magem da guia em pleno0 voo de umaq SUTILEZA S ENCOBNT4RADA NO VOADORES. eSPERO QUE ELA 3ENSEJE AS MESMAS EMOES QUE ENSEJAM A MIM. aBAQOS.dEUSARINO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s