Emergência noturna

Noite em Kikretum, hora de dormir. Chega um índio dizendo que sua avó estava passando muito mal e pedindo para irmos no Acampamento Arara, onde sua família cuidava da roça. Daqui p/ lá são 15 minutos de voadeira. Foi como um sonho. Noite muito estrelada, com um fiapo de lua crescente enfeitando o firmamento. Além de mim e da auxiliar, três indios viajando em silêncio. O grande rio Fresco, tributário do grandioso Xingu refletia o brilho dos céus em uma noite agradável. Ainda que eu soubesse estar trabalhando, nada tirava o encanto. Luzes ao longe, estávamos chegando. Luzes estranhas, não eram o que eu esperava. Em plena floresta a iluminaçâo mostrava o rosto de Fátima Bernardes no jornal nacional. É, já não se fazem mais acamamentos de índios como antigamente. A índia? Ficou melhor, mas sofreu bem com uma crise de vesícula.

Anúncios

Uma opinião sobre “Emergência noturna”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s